COMO SATANÁS ENGANA AS PESSOAS?

“Cada um é provado por ser provocado e engodado pelo seu próprio desejo”, escreveu o discípulo Tiago. “Então o desejo, tendo-se tornado fértil, dá à luz o pecado; o pecado, por sua vez, tendo sido consumado, produz a morte.” (Tia. 1:14, 15) Na tentativa de destruir nossa relação com Deus, Satanás procura atingir a fonte de nossos desejos: O coração.
O que Satanás usa para tentar atingir nosso coração? “O mundo inteiro jaz no poder do maligno”, diz a Bíblia. (1 João 5:19) As armas de Satanás incluem “as coisas no mundo”. (1 João 2:15, 16.) Ao longo de milhares de anos, o Diabo moldou cuidadosamente o ambiente que nos cerca. Visto que vivemos neste mundo, temos de nos proteger de suas táticas sutis. (João 17:15.)

Satanás usa métodos que visam corromper os desejos do nosso coração. O apóstolo João identifica  em 1 João 2:15,16 três tentações que ele usa:

(1) “o desejo da carne”

(2) “o desejo dos olhos”

(3) “a ostentação dos meios de vida da pessoa”

Satanás usou essas coisas para tentar Jesus no ermo. Com muitos anos de experiência utilizando essas armadilhas, Satanás hoje as usa com perícia, adaptando suas táticas às inclinações de cada pessoa. Antes de considerarmos que medidas podemos tomar para nos proteger nesse respeito, vejamos como o Diabo foi bem-sucedido ao usar certas tentações no caso de Eva, mas fracassou ao tentar o Filho de Deus.
1-“O DESEJO DA CARNE”
Os humanos têm uma necessidade básica: Se alimentar para sustentar o corpo. O Criador projetou a Terra para produzir uma fartura de alimento. Satanás talvez tente explorar o desejo natural por alimento no esforço de nos desviar de fazer a vontade de Deus. Veja como ele fez isso no caso de Eva. (Gênesis 3:1-6.) Satanás disse a Eva que ela podia comer do fruto da “árvore do conhecimento do que é bom e do que é mau” e que não morreria. Também alegou que, no dia em que comesse do fruto, ela seria como Deus.(Gên. 2:9) Desse modo, o Diabo insinuou que Eva não precisava obedecer a Deus para viver. Que mentira descarada! Uma vez que essa ideia foi introduzida na mente de Eva, ela tinha duas opções: rejeitar a ideia ou então continuar a pensar nela, permitindo assim que seu desejo pelo fruto aumentasse. Mesmo tendo todas as outras árvores do jardim à sua disposição, Eva preferiu continuar refletindo sobre o que Satanás havia dito sobre a árvore no meio do jardim e “começou a tomar do seu fruto e a comê-lo”. Desse modo, Satanás criou nela um desejo por algo que havia sido proibido pelo seu Criador.
Satanás usou a mesma tática quando tentou Jesus no ermo. Depois de Jesus ter jejuado por 40 dias e 40 noites, Satanás tentou explorar o desejo dele por alimento. “Se tu és filho de Deus”, disse Satanás, “dize a esta pedra que se transforme em pão”. (Luc. 4:1-3) Jesus tinha duas opções: decidir usar, ou não, seu poder milagroso para satisfazer a necessidade de alimento. Ele sabia que não devia usar esse poder para fins egoístas. Embora faminto, não deu mais importância a satisfazer a fome do que a manter sua relação com Jeová. Jesus disse: “Está escrito: ‘O homem não deve viver só de pão, mas de tudo o que procede da boca de Deus.’” (Luc. 4:4)
2-“O DESEJO DOS OLHOS”
João mencionou também como tentação “o desejo dos olhos”. Essa expressão sugere que alguém pode começar a desejar uma coisa por simplesmente olhar para ela. No caso de Eva, Satanás apelou para esse desejo, dizendo: “Forçosamente se abrirão os vossos olhos.” Quanto mais Eva olhava para o fruto proibido, mais atraente ele se tornava. Ela viu que a árvore “era algo para os olhos anelarem”.
Que dizer no caso de Jesus? Satanás “lhe mostrou todos os reinos da terra habitada, num instante de tempo; e o Diabo disse-lhe: ‘Eu te darei toda esta autoridade e a glória deles’”. (Luc. 4:5, 6) Jesus não viu num instante todos os reinos com seus olhos literais, mas Satanás deve ter pensado que a glória desses reinos, apresentada numa visão, teria certo atrativo para Jesus. Satanás teve a audácia de sugerir: ‘Se tu fizeres um ato de adoração diante de mim, tudo será teu.’ (Luc. 4:7) De modo algum Jesus quis ser o tipo de pessoa que Satanás queria que ele fosse. Sua resposta foi imediata: “Está escrito: ‘É a  Deus que tens de adorar e é somente a ele que tens de prestar serviço sagrado.’” ( Luc. 4:8. )
3-“A OSTENTAÇÃO DOS MEIOS DE VIDA DA PESSOA”
Ao falar das coisas do mundo, João mencionou “a ostentação dos meios de vida da pessoa”. Quando Adão e Eva eram os únicos humanos na Terra, eles naturalmente não podiam ‘ostentar seus meios de vida’ diante de outros. Mas eles manifestaram orgulho. Ao tentar Eva, Satanás insinuou que Deus estava lhe negando algo maravilhoso. O Diabo disse a ela que, no mesmo dia em que comesse da “árvore do conhecimento do que é bom e do que é mau”, ela ‘forçosamente seria como Deus, sabendo o que é bom e o que é mau’. (Gên. 2:17; 3:5) Assim, Satanás sugeriu que Eva poderia tornar-se independente de Jeová Deus. Pelo visto, um fator que a levou a aceitar essa mentira foi o orgulho. Ela comeu do fruto proibido, acreditando que realmente não morreria. Como estava enganada!
Em contraste com Eva, que excelente exemplo de humildade Jesus deu! Satanás o tentou de outra maneira, mas Jesus rejeitou até mesmo a ideia de fazer algo dramático que colocasse Deus à prova. Isso teria sido um ato de orgulho! Em vez disso, a resposta de Jesus foi clara e direta: “Dito está: ‘Não deves pôr Jeová, teu Deus, à prova.’” ( Lucas 4:9-12 King James Nome Divino 2012)
COMO PROTEGER NOSSA RELAÇÃO COM JEOVÁ?
Hoje, Satanás usa tentações semelhantes às que usou com Eva e com Jesus. Apelando para “o desejo da carne”, o Diabo usa seu mundo para promover a imoralidade e o excesso no comer e no beber. Por meio da pornografia, em especial na internet, ele pode atrair a atenção de um usuário desprevenido e apelar para “o desejo dos olhos”. E o materialismo, o poder e a fama sem dúvida são uma grande tentação para os orgulhosos e os que tendem a ‘ostentar seus meios de vida’.
“As coisas no mundo” são como iscas de pescador. Elas são atraentes, mas presa a cada isca há um anzol. Satanás usa o que as pessoas talvez considerem necessidades do dia a dia para levá-las a querer fazer o que é contra as leis de Deus. Mas o objetivo dessas tentações sutis é influenciar nossos desejos e corromper nosso coração. São na realidade uma tentativa de nos levar a crer que cuidar de nossas necessidades e confortos pessoais é mais importante do que fazer a vontade de Deus. Que dizer de nós? Será que cederemos a essas tentações?

O mundo e seu espírito carnal são contra Deus e seu espírito santo. Assim, os verdadeiros seguidores de Cristo não apenas evitam fazer parte do mundo. Eles o rejeitam no coração, sabendo que, como escreveu o discípulo Tiago, “a amizade com o mundo é inimizade com Deus”.( Tia. 4:4)

Pode ser um desafio acatar as palavras de Tiago num mundo que oferece inúmeras tentações. (2 Tim. 4:10) Por isso, Jesus orou em favor de seus seguidores: “Solicito-te, não que os tires do mundo, mas que vigies sobre eles, por causa do iníquo. Não fazem parte do mundo, assim como eu não faço parte do mundo.” (João 17:15, 16) Pergunte-se: ‘Esforço-me em não fazer parte do mundo? Será que outros sabem qual é a minha posição em relação a celebrações e costumes antibíblicos, bem como práticas que talvez não tem origem pagã mas refletem claramente o espírito do mundo?’ (2 Cor. 6:17; 1 Ped. 4:3, 4)

É óbvio que a nossa posição bíblica não granjeará o favor do mundo, mas poderá levantar a curiosidade de pessoas sinceras. Sem dúvida, ao observarem que a nossa fé tem firmes raízes nas Escrituras e envolve nosso inteiro modo de vida, tais pessoas talvez reajam dizendo, com efeito: “Iremos convosco, pois ouvimos que Deus está convosco.” ( Zac. 8:23)

Embora Eva tenha cedido às tentações de Satanás, Jesus conseguiu resistir a elas. Em cada caso, ele deu uma resposta bíblica, dizendo “está escrito” ou “dito está”. Se estudarmos bem a Bíblia, conheceremos as Escrituras e teremos como nos lembrar de versículos que podem nos ajudar a manter o foco diante de tentações. (Sal. 1:1, 2) Lembrar de exemplos bíblicos de pessoas que foram leais a Deus nos ajudará a imitá-los. (Rom. 15:4) Ter profundo respeito por Jeová, amando o que ele ama e odiando o que ele odeia, nos protegerá, conforme diz a bíblia: “Ó vós amantes de Jeová, odiai o que é mau. Ele guarda as almas dos que lhe são leais; Livra-os da mão dos que praticam a injustiça. (Salmos 97:10 Tradução Brasileira)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s