Por que Elias e Moisés estavam Junto com Jesus na Transfiguração?

Quatro homens haviam acabado de subir a um alto monte. Lá em cima, aconteceu algo surpreendente. Enquanto três atônitos discípulos de Jesus Cristo observavam, ele sofreu uma mudança diante de seus olhos. Escute, à medida que o evangelista Marcos relata este emocionante evento:

“JESUS tomou a Pedro, e a Tiago, e a João, e os levou a sós a um alto monte. E ele foi transfigurado diante deles, e sua roupagem exterior tornou-se cintilante, muito mais branca do que qualquer lavadeiro na terra poderia alvejar. Apareceu-lhes também Elias com Moisés, e estes estavam conversando com Jesus. E, como resposta, Pedro disse a Jesus: ‘Rabi, é excelente que estejamos aqui; armemos, pois, três tendas, uma para ti, e uma para Moisés, e uma para Elias.’ De fato, não sabia que resposta devia dar, porque ficaram bastante temerosos. E formou-se uma nuvem, encobrindo-os, e uma voz saiu da nuvem: ‘Este é meu Filho, o amado; escutai-o.’ Repentinamente, porém, olharam em volta e não viram mais ninguém com eles, a não ser apenas Jesus.” — Marcos 9:2-8.

Imagine só! O rosto de Jesus brilhava como o próprio sol. (Mateus 17:2) Sua roupa estava cintilante, “muito mais branca do que qualquer lavadeiro na terra poderia alvejar”. Ouviu-se o som da poderosa voz do próprio Deus fazendo uma declaração sobre Seu Filho. Que maravilhoso evento!

A palavra grega aqui traduzida “transfigurado” significa “assumir outra forma”. Ela aparece também em Romanos 12:2, onde os cristãos são aconselhados a ‘ser transformados’ por reformar a mente. — An Expository Dictionary of New Testament Words (Dicionário Expositivo de Palavras do Novo Testamento), de W. E. Vine, Volume IV, página 148.

Sim, ocorreu um dramático evento quando Jesus foi transfigurado pouco depois da Páscoa de 32 EC. O que levou a esse milagre? Tem um objetivo especial? Por que Moisés e Elias estavam envolvidos? E como a transfiguração de Cristo afeta você?

Nem Sonho nem Irrealidade

A transfiguração de Jesus não foi um sonho. Os três apóstolos não teriam tido o mesmo sonho, e Jesus a chamou de “visão”. Isto não implica uma irrealidade, pois a palavra grega usada em Mateus 17:9 é traduzida “[o] que via”, em outro lugar. (Atos 7:31) Portanto, os observadores estavam plenamente despertos e, com seus olhos e ouvidos, realmente viram e ouviram o que estava acontecendo. — Lucas 9:32.

Bem acordado, mas não sabendo o que dizer, Pedro sugeriu que se armassem três tendas — uma para Jesus, uma para Moisés e outra para Elias. (Lucas 9:33) A nuvem que se formou enquanto Pedro falava evidentemente indicava a presença de Deus no monte, como se dava com a tenda de reunião, de Israel, no ermo. (Êxodo 40:34-38; Lucas 9:34) E certamente os apóstolos não estavam sonolentos quando “Deus, o Pai”, declarou: “Este é meu Filho, aquele que foi escolhido. Escutai-o.” — 2 Pedro 1:17, 18; Lucas 9:35.

Por Que Moisés Foi Visto

Quando ocorreu a transfiguração, Moisés não estava “cônscio de absolutamente nada”, pois havia morrido séculos antes. (Eclesiastes 9:5, 10) Como Davi, ele não havia sido ressuscitado e, portanto, não se achava presente em pessoa. (Atos 2:29-31) Mas por que Moisés foi visto com Cristo nessa visão?

Deus dissera a Moisés: “Suscitar-lhes-ei do meio dos seus irmãos um profeta semelhante a ti; e deveras porei as minhas palavras na sua boca e ele certamente lhes falará tudo o que eu lhe mandar.” (Deuteronômio 18:18) Pedro aplicou esta profecia especificamente a Jesus Cristo. (Atos 3:20-23) À parte de Jesus, Moisés foi o maior profeta que Deus enviou à nação de Israel.

Existem similaridades entre Moisés e Jesus Cristo, o Moisés Maior. Por exemplo, quando eram criancinhas, a vida dos dois foi posta em perigo por governantes tirânicos, mas Deus cuidou de que os bebês fossem poupados. (Êxodo 1:20-2:10; Mateus 2:7-23) Já adultos, ambos passaram 40 dias jejuando no início de suas respectivas carreiras como servos especiais de Jeová. (Êxodo 24:18; 34:28; Deuteronômio 9:18, 25; Mateus 4:1, 2) E tanto Moisés como Jesus realizaram milagres pelo poder de Deus. — Êxodo 14:21-31; 16:11-36; Salmo 78:12-54; Marcos 4:41; Lucas 7:18-23; João 14:11.

Deus usou Moisés para libertar Israel da escravidão egípcia, assim como Jesus proporciona libertação espiritual. (Êxodo 12:37-14:31; João 8:31, 32) Moisés teve o privilégio de mediar o pacto da Lei entre Deus e os israelitas, ao passo que Jesus é o Mediador do novo pacto. (Êxodo 19:3-9; 34:3-7; Jeremias 31:31-34; Lucas 22:20; Hebreus 8:3-6; 9:15) Jeová também usou Moisés a fim de fazer para Si um nome perante os israelitas, os egípcios e outros, assim como Jesus Cristo tem magnificado o santo nome de Jeová. (Êxodo 9:13-17; 1 Samuel 6:6; João 12:28-30; 17:5, 6, 25, 26) Fazendo com que Moisés aparecesse junto com o transfigurado Jesus, Deus mostrou que Cristo serviria nessas qualidades em escala muito mais grandiosa.

Por Que Elias Apareceu

Embora o profeta Elias, já morto, não tivesse sido ressuscitado, era apropriado que aparecesse na visão da transfiguração. Elias efetuou uma grande obra no que diz respeito a restaurar a adoração pura e a santificar o nome de Jeová entre os israelitas. Jesus Cristo fez o mesmo enquanto na terra e fará ainda mais para restaurar a religião pura e vindicar seu Pai celestial por meio do Reino messiânico.

O profeta Malaquias mostrou que a obra de Elias prefigurou atividades futuras. Através de Malaquias, Deus disse: “Eis que vos envio Elias, o profeta, antes de chegar o grande e atemorizante dia de Jeová. E ele terá de voltar o coração dos pais para os filhos e o coração dos filhos para os pais; para que eu não venha e realmente golpeie a terra, devotando-a à destruição.” — Malaquias 4:5, 6.

Esta profecia teve cumprimento em miniatura na obra de João, o Batizador. Jesus salientou isto após a transfiguração, quando seus discípulos perguntaram por que os escribas diziam que Elias tinha de vir primeiro — antes do aparecimento do Messias. Jesus disse: “Elias, de fato, vem e restabelecerá todas as coisas. No entanto, eu vos digo que Elias já veio e não o reconheceram, mas fizeram com ele o que quiseram. Do mesmo modo também o Filho do homem está destinado a sofrer às mãos deles.” O relato acrescenta: “Os discípulos perceberam então que lhes falara de João Batista.” — Mateus 17:10-13.

João efetuou uma obra semelhante à de Elias ao batizar judeus que se arrependiam dos seus pecados contra o pacto da Lei. Mais importante ainda, João foi o precursor do Messias e apresentou Jesus Cristo. (Mateus 11:11-15; Lucas 1:11-17; João 1:29) Mas por que era a obra de João apenas um cumprimento em miniatura da profecia de Malaquias?

Na visão, Elias foi observado falando com Jesus. Isto ocorreu depois da morte de João, o Batizador, sugerindo assim que uma obra semelhante à de Elias seria feita no futuro. Ademais, a profecia mostrou que esta obra seria feita antes do “grande e atemorizante dia de Jeová”. Este evento que rapidamente se aproxima inclui “a guerra do grande dia de Deus, o Todo-poderoso” no Har-Magedon, ou Armagedom. ( Apocalipse 16:14-16) Isto significava que o então futuro estabelecimento do Reino celestial de Deus seria precedido por uma obra que corresponderia às atividades de Elias e de seu sucessor, Eliseu. E, por mais de um século, as hodiernas Testemunhas de Jeová têm realizado uma obra que envolve a restauração da adoração pura e a exaltação do nome de Deus. — Salmo 145:9-13; Mateus 24:14.

O Objetivo Dela

A transfiguração deve ter fortificado Jesus para os sofrimentos e para a morte que estava prestes a enfrentar. Ouvir seu Pai celestial falar dele como Seu Filho aprovado deve ter fortalecido a fé de Jesus. Mas o que fez a transfiguração em favor de outros?

A transfiguração de Jesus também fortaleceu a fé dos observadores. Incutiu na mente deles que Jesus Cristo é o Filho de Deus. Deveras, visto que o Principal Porta-voz de Jeová, a Palavra, estava então no meio deles, eles ouviram a voz do próprio Deus declarar: “Este é meu Filho, o amado, a quem tenho aprovado.” Embora Jeová tivesse dado um testemunho similar quando Jesus foi batizado, durante a transfiguração Deus acrescentou que os discípulos deviam escutar a Seu Filho. — Mateus 3:13-17; 17:5; João 1:1-3, 14.

A transfiguração fortaleceu a fé de outra maneira. Durante a visão, Jesus, “Moisés” e “Elias” falaram sobre a “partida, que [Cristo] estava destinado a cumprir em Jerusalém”. (Lucas 9:31) “Partida” é tradução de uma forma da palavra grega é·xo·dos. Este êxodo, ou partida, evidentemente envolvia tanto a morte como a ressurreição de Jesus, da parte de Deus, à vida espiritual. (1 Pedro 3:18) De modo que a transfiguração fortaleceu a fé na ressurreição de Cristo. Em especial, edificou a fé, fornecendo evidência convincente de que Jesus seria o Rei do Reino messiânico de Deus. Ademais, a visão mostrou que o Reino seria glorioso.

A transfiguração também fortaleceu a fé nas profecias bíblicas. Uns 32 anos depois (cerca de 64 EC), Pedro ainda se lembrava dessa experiência e escreveu: “Não, não foi por seguirmos histórias falsas, engenhosamente inventadas, que vos familiarizamos com o poder e a presença de nosso Senhor Jesus Cristo, mas foi por nos termos tornado testemunhas oculares da sua magnificência. Pois ele recebeu de Deus, o Pai, honra e glória, quando pela glória magnificente lhe foram dirigidas palavras tais como estas: ‘Este é meu Filho, meu amado, a quem eu mesmo tenho aprovado.’ Sim, estas palavras nós ouvimos dirigidas desde o céu, enquanto estávamos com ele no monte santo. Por conseguinte, temos a palavra profética tanto mais assegurada; e fazeis bem em prestar atenção a ela como a uma lâmpada que brilha em lugar escuro, até que amanheça o dia e se levante a estrela da alva, em vossos corações.” — 2 Pedro 1:16-19.

O Significado Dela Para Você

Sim, Pedro encarava a transfiguração de Jesus como poderosa confirmação da palavra profética de Deus. O apóstolo João talvez também tenha aludido a essa visão ao dizer: “A Palavra se tornou carne e residiu entre nós, e observamos a sua glória, uma glória tal como a de um filho unigênito dum pai; e ele estava cheio de benignidade imerecida e de verdade.” (João 1:14) Similarmente, a transfiguração pode edificar sua fé na palavra profética de Jeová.

A transfiguração e eventos associados podem fortalecer sua fé de que Jesus é o Filho de Deus e o prometido Messias. Pode reforçar sua crença na ressurreição de Jesus para a vida espiritual no céu. Esta surpreendente visão também aumenta sua fé no governo de Deus, pois a transfiguração foi um antegosto da glória de Cristo e do poder do Reino.

É especialmente fortalecedor da fé saber que a transfiguração de Cristo apontava para os nossos dias, quando a presença de Jesus é uma realidade. (Mateus 24:3-14) Desde 1914 ele tem dominado como Rei designado por Deus nos céus. Sua autoridade e poder concedidos por Deus serão em breve exercidos contra todos os inimigos do domínio divino, abrindo o caminho para um novo mundo. (2 Pedro 3:13) Você poderá usufruir suas infindáveis bênçãos se exercer fé nas maravilhosas coisas retratadas na transfiguração de Jesus Cristo.

Para saber mais a Respeito da Presença de Jesus Cristo como Rei desde 1914 clique AQUI

Anúncios

Um comentário sobre “Por que Elias e Moisés estavam Junto com Jesus na Transfiguração?

  1. Pingback: Foram Elias e Enoque e Moisés para o céu? | A Bíblia Responde e Ajuda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s