Possui Jesus no céu um corpo humano? É Jesus homem eternamente ?

É grande o número de evangélicos que respondem positivamente às perguntas feitas acima, no título do artigo. Para eles, o Senhor Jesus Cristo ainda retêm em sua natureza a humanidade, fato este que prova o porquê da bíblia se referir a Jesus como sendo submisso ao Pai mesmo após a sua ressurreição, claro, buscando assim um pretexto para apoiar a doutrina da trindade. É o  típico caso de uma mentira para encobrir outra.

Felizmente, a bíblia que é a verdade, nos dá luz sobre este assunto. Lemos em 1 Pedro 3:18 que Jesus foi “morto na carne, mas vivificado no espírito”. (Tradução do Novo Mundo; Almeida, atualizada; I.B.B.Brasileira)

Unicamente esse texto já serviria para responder as indagações a respeito desse assunto, mas como Jeová é amoroso, ele nos fornece mais indícios em sua palavra para eliminar qualquer dúvida  a respeito de qualquer assunto que seja.

A lei mosaica, com seus sacrifícios, era uma sombra de coisas ainda futuras. O que é uma sombra? Uma sombra indica a figura ou forma geral da realidade que a projeta.  O que isso tem a ver com o corpo de Cristo? Lemos em Colossenses 2:17:

“Estas coisas são sombras do que haveria de vir; a realidade, porém, encontra-se em Cristo”. 

Lemos também em Hebreus 10:1:

“A Lei traz apenas uma sombra dos benefícios que hão de vir, e não a realidade dos mesmos. Por isso ela nunca consegue, mediante os mesmos sacrifícios repetidos ano após ano, aperfeiçoar os que se aproximam para adorar”.

O bode e os novilhos oferecidos no dia da expiação representavam o sacrifício de nosso Senhor Jesus Cristo. O que acontecia com os cadáveres daquelas vítimas usadas em sacrifício no dia da expiação? Lemos em Hebreus 13: 11,12:

“O sumo sacerdote leva sangue de animais até o Santo dos Santos, como oferta pelo pecado, mas os corpos dos animais são queimados fora do acampamento. Assim, Jesus também sofreu fora das portas da cidade, para santificar o povo por meio do seu próprio sangue”. 

O que deduzimos disso? Seguindo a mesma lógica, Jeová Deus eliminou o corpo sacrificado de seu Filho. Além disso, se Jesus tivesse tomado de volta seu corpo de carne, seu sacrifício teria sido temporário, sem contínuo valor expiatório. Também lemos em Hebreus 9:8,24:

“Dessa forma, o Espírito Santo estava mostrando que ainda não havia sido manifestado o caminho para o Santo dos Santos enquanto ainda permanecia o primeiro tabernáculo. Pois Cristo não entrou em santuário feito por homens, uma simples representação do verdadeiro; ele entrou no próprio céu, para agora se apresentar diante de Deus em nosso favor”. 

A carne do ser humano Jesus Cristo era um impedimento para ele ter acesso aos céus. Lemos em Hebreus 10:19,20:

Tendo pois, irmãos, ousadia para entrarmos no santíssimo lugar, pelo sangue de Jesus, pelo caminho que ele nos inaugurou, caminho novo e vivo, através do véu, isto é, da sua carne”. 

A “carne” de Jesus, portanto, é mencionada em Hebreus 10:20 como sendo representada pela “cortina” (véu) que separava o Santo do Santíssimo no tabernáculo. Antes de poder entrar no céu, o verdadeiro “Santíssimo”, Jesus teve de renunciar à sua existência carnal e receber natureza espiritual. Seu corpo de carne teria sido uma barreira para ele ir além da “cortina” como pessoa espiritual.

Outra evidência a favor de que Jesus não foi ressuscitado na carne é que dois de seus discípulos, bem como Maria Madalena, não o reconheceram nas suas aparências físicas após a ressurreição. Apenas discerniram quem ele era por meio daquilo que disse e fez. — Luc. 24:13-31; João 20:14, 15.

Mas o caro leitor pode-se perguntar: E no caso de Tomé, os sinais físicos das marcas de prego no corpo de Jesus não é evidência clara que Jesus possuía o mesmo corpo físico antes de morrer?

Para responder  essa pergunta, temos de ler o contexto. Veja o que ele nos diz:

Jesus veio, embora as portas estivessem fechadas à chave, e ficou em pé no meio deles.” (João 20:26)

Seja sincero caro leitor: é possível um ser humano de corpo fisicamente carnal entrar numa sala com portas fechadas, simplesmente atravessando as paredes? E porque João frisou esse ponto? Se o Senhor Jesus tivesse simplesmente  aberto a porta e depois entrado fisicamente na sala, João NÃO teria dito as palavras acima.

Isso explica o fato de no livro de Lucas os discípulos terem ficado apavorados. Lemos:

 Enquanto falavam sobre isso, o próprio Jesus apresentou-se entre eles e lhes disse: “Paz seja com vocês! “Eles ficaram assustados e com medo, pensando que estavam vendo um espírito”. Lucas 24:36-37

Fica claro assim que Jesus deve ter materializado instantaneamente um corpo físico de carne. Um corpo humano não atravessa portas fechadas. Isto é algo que nenhum homem de carne podia ter feito. Mas é algo que pessoas espirituais podiam fazer por se materializarem.

Isto está de acordo com as palavras de Jesus no mesmo relato de Lucas. Lemos:

Ele lhes disse: “Por que vocês estão perturbados e por que se levantam dúvidas em seus corações?Vejam as minhas mãos e os meus pés. Sou eu mesmo! Toquem-me e vejam; um espírito não tem carne nem ossos, como vocês estão vendo que eu tenho”. Lucas 24:38-39 

A materialização de corpos carnais é evidente em vários episódios nas escrituras.  No relato de Lucas vemos isso. Lá diz:

 

“Então um anjo do Senhor apareceu a Zacarias, à direita do altar do incenso”. Lucas 1:11 

Outro fato que corrobora que Jesus simplesmente assumiu um corpo, para ser visto pelos seus discípulos, assim como anjos fizeram no passado, é também evidente no fato de que ele apareceu plenamente vestido. Quando Jesus foi deitado no túmulo, não estava vestido, mas apenas envolvido em faixas de linho fino. Depois de sua ressurreição, estas faixas permaneceram no túmulo. Portanto, assim como Jesus teve de materializar roupa, também teve de assumir carne, para se tornar fisicamente visível aos seus discípulos. — Luc. 23:53; João 19:40; 20:6, 7.

Com este entendimento, podemos reconhecer que, ser Jesus chamado de “Filho do homem”, mesmo depois de ter ido para o céu, não se pode referir a ele ter um corpo humano nos céus. Uma profecia messiânica que fala sobre ele receber poder régio de seu Pai, refere-se a ele como sendo “alguém semelhante a um filho de homem”. (Dan. 7:13, 14) Portanto, embora tivesse oferecido o sacrifício exigido por entregar a sua natureza humana, Jesus Cristo retém a designação messiânica de “Filho do homem”.

Em Apocalipse lemos também: Não vi templo algum na cidade, pois o Senhor Deus todo-poderoso e o Cordeiro são o seu templo. Apocalipse 21:22

Jesus Cristo leva o título de “o Cordeiro”, por ter deposto a sua vida em sacrifício. Este título obviamente não descreve sua aparência ou natureza nos céus. Assim, as Escrituras, como um todo, testificam que Jesus foi ressuscitado, não como homem de carne e sangue, mas como gloriosa pessoa espiritual. É por isso que a bíblia é enfática em dizer:

Mas alguém pode perguntar: “Como ressuscitam os mortos? Com que espécie de corpo virão? ” Assim também é a ressurreição dentre os mortos. Semeia-se o corpo em corrupção; ressuscitará em incorrupção. Semeia-se corpo natural, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual. E agora digo isto, irmãos: que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção.”1 Coríntios 15:35,42,44 e 50

Era do propósito de Deus que seu Filho reassumisse a vida celestial e não mais continuasse a viver como homem na terra. Isto exigia que Jesus fosse ressuscitado como pessoa espiritual, porque pessoas de carne e sangue não podem viver nos céus.

 

Anúncios

11 comentários sobre “Possui Jesus no céu um corpo humano? É Jesus homem eternamente ?

  1. rose

    Se os dias eram rateados assim, então as profecias que os crentes, como Testemunhas de Jeová e Adventistas, contam, estão erradas, pois todos quando convertem períodos de dias em anos, considera-os como literais.
    Assim as datas de visita de jesus ao santuário de 1844 dos Adventistas e 1914 das testemunhas de Jeová estão erradas.

    Curtir

  2. gilberto

    Gilvan, esse comentário de Eusou não condiz com a verdade!
    A explicação de Eusou só convence os mais desatentos. Essa explicação aparentemente é até boa, mas não condiz com a verdade como já havia dito.
    A bíblia fala que quando Jesus morreu eram 3 horas da tarde de uma sexta-feira, e os discipulos de Jesus se apressaram em retirar seu corpo da cruz( madeiro) porque estava se aproximando do dia de Sábado. Isso significa que o Sábado sagrado dos judeus começaria ainda naquela mesma sexta, após algumas horas mais tarde das três. Hoje sabemos que os Judeus contavam os dias das 6 horas de um dia a 6 horas do dia seguinte. Na realidade quem nos conta isso, é a própria biblia. O próprio Deus Judeu, em Gênesis, conta os dias criativos a partir de um período da manhã a um período da tarde, assim está escrito” e veio a ser noitinha e veio a ser manhã. Primeiro dia, … sexto dia”. Se isso for verdade e não tem como não ser, Jesus de fato não ficou três dias na sepultura. Contrariando, desse modo, suas próprias palavras ao dizer que assim como Jonas, ele ficaria três e três noite na sepultura.
    Perceba que se os judeus contavam de 6 em 6 horas um dia inteiro, então quando Jesus morreu às três horas da sexta ainda faltavam mais três horas para se começar o dia de Sábado, ou seja, o Sábado sagrado dos judeus começava às 18 horas de uma sexta feira e terminava às 18 horas do dia seguinte, quer dizer, às 18 horas do nosso sábado. Daí o motivo de tanta pressa em se querer enterrar logo Jesus ainda na sexta-feira. Lembre-se dessa passagem: “Respondeu Jesus: Não são doze as horas do dia? Se alguém andar de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo; mas, se andar de noite, tropeça, porque nele não há luz.” (João 11:9, 10). Vamos contar então quantos dias realmente Jesus ficou na sepultura. Vamos pensar, se as mulheres foram ao túmulo no domingo bem cedo, antes do raiar do Sol, significa dizer que Jesus ficou enterrado o dia inteiro do Sábado que começou das 18 horas da sexta e terminou às 18 horas do próprio sábado, completando assim o período de 12 horas do dia e 12 horas da noite, conforme entendimento das próprias palavras de Jesus. E algumas poucas horas da sexta, já que ninguém sabe a que horas colocaram Jesus no túmulo. Alguns, como Eusou, tentam explicar que os judeus contavam os dias de forma diferente que nós, os ocidentais, de fato isso é verdade, só que há um detalhe, os evangelhos não foram escritos nem em hebraico e nem para judeus, foram escritos em sua maciça maioria em grego. A língua dos que dominavam os judeus. Outros dizem, com base em alguns textos, que foram escritos em hebraico ( velho testamento em sua maioria escritos em hebraico e poucos em aramaico) que parte de um dia poderia ser contado como um dia inteiro. Assim, parte da sexta, todo o sábado e parte do domingo seriam contados como três dias. Contudo, isso ainda não resolveria o problema, ou melhor a grande contradição bíblica. Porque Jesus ao comparar sua situação a de Jonas, liquidou com a argumentação sugerida por alguns. Jesus disse 3 dias e 3 noites e não, partes do dia e parte da noite. Quer dizer Jesus passaria três períodos inteiros de luz chamado dia mais três períodos inteiros de escuridão chamados noites.
    Só para confirmar tudo que foi dito acima. Vejam a publicação das Testemunhas de Jeová – Conhecimento que conduz a vida eterna, versão em português, em suas páginas 68, lá diz” Ele dormiu na morte por três dias incompletos, e daí Jeová Deus o ressuscitou como poderoso ser espiritual”.
    Dias incompletos foi o tempo de permanência de Jesus no túmulo porque Jesus realmente não ficou três dias como ele disse que ficaria.

    Curtir

  3. eusou

    Gilvan, encontrei esse comentário em um site adventista, veja o que ele diz:
    Quanto tempo Jesus ficou na sepultura. Ficou mesmo três dias e três noites?
    Mateus 12:40 diz: Porque assim como esteve Jonas três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim o Filho do Homem estará três dias e três noites no coração da terra. Quando Jesus falou que ressuscitaria após três dias e 3 noites não estava usando o método moderno de referir-se ao tempo.

    Em nossos dias três dias e três noites seriam 72 horas. Com base nisto, alguns tem suposto que Jesus morreu na quarta feira à tarde e ressuscitou no sábado à noite. Mas Jesus estava usando o método judeu de contagem do tempo. Os judeus utilizavam o método inclusivo de contagem do tempo. Uma parte de um dia era contada como um dia.

    Se um rei começasse a reinar no mês de novembro, e morresse no mês de março do ano seguinte, para os judeus, ele teria reinado dois anos. [Nos tempos modernos seriam apenas cinco meses]. Veja alguns exemplos bíblicos acerca deste método de contagem do tempo:

    1º) 1 Samuel 30:12 e 13 declara… pois havia três dias e três noites que não comia pão nem bebia água?. Então lhe perguntou Davi: De quem és tu, e de onde vens?? Respondeu o moço egípcio: Sou servo de um amalequita e meu senhor me deixou aqui há três dias. Note bem as expressões diferentes para o mesmo período de tempo.

    2º) Outro exemplo concludente se encontra em Ester 4:16 e 5:1 …e jejuai por mim e não comais nem bebais por três dias, nem de noite nem de dia… Ao terceiro dia Éster se aprontou… É claro que o período de três dias não havia chegado ao fim quando ela se
    apresentou perante o rei, se fosse diferente, estaria: no quarto dia.

    3º) As crianças em Israel eram circuncidadas ao terem 8 dias (Genesis 17:12), porém a circuncisão ocorreria no oitavo dia devido à contagem inclusiva (Levítico 12:3; Lucas 1:59)

    Portanto, quando Jesus morreu na sexta-feira à tarde e ressuscitou no domingo de madrugada ele esteve morto três dias, apesar de terem sido aproximadamente 36 horas, se fossemos contar nos dias atuais. Sendo assim, é perfeitamente aceitável, para o pensamento judeu dos dias de Jesus, computar parte da sexta-feira, o sábado inteiro, e parte do domingo, como três dias e três noites.

    Curtir

  4. abibliaeavidaeterna

    (Hebreus 10:19, 20) “[…] Portanto, irmãos, visto que temos plena confiança para usar o caminho de entrada no lugar santo por meio do sangue de Jesus, o caminho novo e vivo que ele abriu para nós ATRAVÉS DA CORTINA, isto é, SUA CARNE […]”
    Notamos aqui que a cortina do templo foi representada pela carne de Jesus. A cortina do tempo impedia que qualquer humano pudesse acessar o céu. Assim, libertando-se de seu corpo, Jesus entrou na presença de Deus.
    (Hebreus 9:24) “… Pois Cristo não entrou num lugar santo feito por mãos humanas, que é uma cópia da realidade, mas no próprio céu, de modo que agora comparece perante Deus em nosso favor.”
    O que aconteceu com a carne de Jesus – a cortina do templo?
    (Mateus 27:50, 51) “Novamente Jesus clamou em alta voz e entregou seu espírito. Naquele momento, a cortina do santuário se rasgou em duas, de alto a baixo, a terra tremeu e as rochas se partiram.”
    Então, assim como a cortina se desfez, do mesmo modo também ocorreu com o corpo de Jesus.

    para saber mais assista esse vídeo:https://www.facebook.com/averdadeelogica/videos/1845229292470363/

    Curtir

  5. abibliaeavidaeterna

    (Hebreus 10:19, 20) “[…] Portanto, irmãos, visto que temos plena confiança para usar o caminho de entrada no lugar santo por meio do sangue de Jesus, o caminho novo e vivo que ele abriu para nós ATRAVÉS DA CORTINA, isto é, SUA CARNE […]”
    Notamos aqui que a cortina do templo foi representada pela carne de Jesus. A cortina do tempo impedia que qualquer humano pudesse acessar o céu. Assim, libertando-se de seu corpo, Jesus entrou na presença de Deus.
    (Hebreus 9:24) “… Pois Cristo não entrou num lugar santo feito por mãos humanas, que é uma cópia da realidade, mas no próprio céu, de modo que agora comparece perante Deus em nosso favor.”
    O que aconteceu com a carne de Jesus – a cortina do templo?
    (Mateus 27:50, 51) “Novamente Jesus clamou em alta voz e entregou seu espírito. Naquele momento, a cortina do santuário se rasgou em duas, de alto a baixo, a terra tremeu e as rochas se partiram.”
    Então, assim como a cortina se desfez, do mesmo modo também ocorreu com o corpo de Jesus.

    para saber mais assista esse vídeo:https://www.facebook.com/averdadeelogica/videos/1845229292470363/

    Curtir

  6. gilberto

    Paulo, fixando os olhos no Sinédrio, disse: “Meus irmãos, tenho cumprido meu dever para com Deus com toda a boa consciência, até o dia de hoje”.

    2 Diante disso o sumo sacerdote Ananias deu ordens aos que estavam perto de Paulo para que lhe batessem na boca.

    3 Então Paulo lhe disse: “Deus te ferirá, parede branqueada! Estás aí sentado para me julgar conforme a lei, mas contra a lei me mandas ferir?”

    4 Os que estavam perto de Paulo disseram: “Você ousa insultar o sumo sacerdote de Deus?”

    5 Paulo respondeu: “Irmãos, eu não sabia que ele era o sumo sacerdote, pois está escrito: ‘Não fale mal de uma autoridade do seu povo'”.

    Pergunta que faço diante desse relato: Como Paulo que outrora disse que fora ensinado aos pés de Gamaliel, o fariseu e que era versado na lei mosaica, não soube identificar o sumo sacerdote? Qualquer judeu, por mais desinformado que fosse, reconheceria o sumo sacerdote. Seus trajes eram bem distintos de quaisquer outros trajes.
    Mais uma estória criada pelos cristãos da época!
    É a mesma coisa de alguém xingar o presidente de nosso país e dizer que não sabia que se tratava do presidente da república. Os sumos sacerdotes eram sempre de famílias ricas e bem conhecidas. Impossível de Paulo, sendo judeu e ensinado nos costumes judaicos, não saber diferenciar um sumo sacerdote de um judeu comum.
    Isso é uma farsa, não tem como não ser!

    Curtir

  7. reginaldorodrigues

    Boa noite a todos!
    Gostaria de fazer um adendo a emu anterior comentário, já que ninguém ainda se manifestou sobre ele.
    ” Enquanto falavam sobre isso, o próprio Jesus apresentou-se entre eles e lhes disse: “Paz seja com vocês! “Eles ficaram assustados e com medo, pensando que estavam vendo um espírito”. Lucas 24:36-37.
    Um grande detalhe que deixei de comentar sobre essa passagem bíblica é que ela se constitui uma prova de que os antigos hebreus, inclusive entre aqueles que compunham o círculo íntimo de Jesus, acreditavam na vida pós morte. E esta não é a primeira vez que os discípulos de Jesus o confunde com um fantasma, aparição ou espirito. Em Marcos 6:49, 50: ” Quando o viram andando sobre o mar, pensaram que fosse um fantasma. Então gritaram, pois todos o tinham visto e ficaram aterrorizados.”
    O próprio Jesus nesses dois episódios não os corrige, tampouco fala que essa forma de pensar é errado ou contra as leis de Deus ou que fantasma, espirito ou aparição não existe, apenas busca convencê-los de que ele não é o que eles pensam ser. Se pensar ou acreditar que fantasma existe fosse algo detestável ou contrário a lei, ele os teria disciplinado e/ou corrigidos.
    E não cabe aqui dizer que os hebreus haviam sido influenciados por ideias pagãs de babilônios, por ocasião do cativeiro babilônio, ou por ideias gregas, não. Por que não? Porque aqui estamos falando dos próprios discípulos de Jesus, não são quaisquer judeus, não! Será que em um ponto como este, Jesus os deixaria sem orientação? Certamente que não!
    O fato é que a própria bíblia revela que os hebreus nesse ponto não eram tão diferentes quanto os outros povos. Havia muitos grupos religiosos no tempo de Jesus entre os mencionados na bíblia estão fariseus, saduceus e zelotes, estes últimos são citados de forma muito sutil nela. Judas, o traidor, por exemplo, era um zelote. Os essênios também eram um grupo religioso do tempo de jesus, estes, por sua vez, aparecem em “Guerras e Antiguidades Judaicas” de Flávio Josefo, há até quem diga que Jesus e João Batista fossem essênios.
    Dai porque os discípulos de Jesus acreditarem em fantasma e espíritos. Os fariseus e saduceus ( suas origens vem do tempo dos macabeus) eram grupos antagônicos em suas crenças.
    Havia ainda outros grupos de caráter mais religiosos, outros mais políticos. Esse era o cenário da palestina antes e depois de cristo.
    Portanto, Jesus e seus discípulos, ao contrário do que muitos grupos religiosos da atualidade como TJ, Adventistas e outros dizerem, acreditavam,sim, em espíritos e vida pós morte. Em Atos 23:7, 8 reforça os argumentos acima:”Então Paulo, sabendo que alguns deles eram saduceus e os outros fariseus, bradou no Sinédrio: “Irmãos, sou fariseu, filho de fariseu. Estou sendo julgado por causa da minha esperança na ressurreição dos mortos!”
    Dizendo isso, surgiu uma violenta discussão entre os fariseus e os saduceus, e a assembleia ficou dividida.
    (Os saduceus dizem que não há ressurreição nem anjos, nem espíritos, mas os fariseus admitem todas essas coisas.)
    Sim, há diferenças entre os termos espirito e alma na língua hebraica, contudo, o contexto onde a palavra espirito é usado não deixa duvida de que os judeus não fazia distinção na realidade, isso é tanto verdade que nas passagens que envolve Jesus, ele faz um esforço para convencer seus discípulos do contrário, dizendo “Toquem em mim e vocês vão crer, pois um fantasma não tem carne nem ossos, como vocês estão vendo que eu tenho” (Lc 24.39, NTLH)
    Percebeu que jesus não disse que espirito é o sopro de vida dado por Deus ou algo parecido, mas que espirito não tem carne e nem ossos. O que quer dizer que espirito existe na concepção de Jesus e seus discípulos. E não se trata de espirito no sentido de pessoas espirituais não. Porque a passagem de Atos faz distinção entre anjos e espíritos, portanto são são as mesmas coisas. Para Jesus, assim como para seus discípulos, espirito era um ser, porém sem carne e ossos.
    Também não se pode dizer que eram espíritos demoníacos que os discípulos estavam com medo, pois, Jesus havia dado a eles poder para afugentar e expulsar demônios, assim não teria sentido eles terem medo deles. Os discípulos estavam crentes que Jesus era a famosa alma que se levantou dentre os mortos e estava no mundo dos vivos.
    O fato de atravessar ou aparecer quando as portas estavam fechadas não prova que se tratava de materialização como já havia dito no comentário anterior. Não foi a Jesus dado todo o poder acima e abaixo do céu? Portas fechadas não seria nenhum empecilho para ele. Deus não fez um burro falar e pensar como gente?
    A questão de alguns discípulos não o reconhecerem imediatamente, também não prova a questão da materialização. Lembre-se de que os discípulos estavam sob forte emoção, afinal haviam perdido seu mestre há pouco, além disso, o relato bíblico diz que era de madrugada ou seja ainda estava um pouco escuro, na ocasião. E para que não fique dúvida naquilo que falo, devemos nos lembrar também que Judas teve que dar um beijo em Jesus para que pudesse ser identificado como tal, e isso se deu por causa da escuridão. Então, não poderiam imaginar de cara que aquela pessoa com quem falavam se tratava daquele que havia sido morto.
    Volto a afirmar também que se Jesus não ressuscitou com seu corpo, ele seria um verdadeiro mentiroso que por diversas vezes convenceu os discípulos do contrário.
    Não podemos concluir ideias apenas de palavras ou expressões isoladas, temos que nos ater ao momento histórico e a forma de pensar daquelas pessoas naquele tempo. Pesquisei certa vez a respeito do corpo de Moisés, e achei um artigo que dizia que o corpo de Moisés havia sido colocado em algum lugar que os israelitas não fossem tentado a fazer de seu sepulcro um lugar de peregrinação ou adoração. Talvez isso explique um outro motivo de Jesus ter sido ressuscitado com seu corpo carnal, evitando dessa forma uma pretensa forma de adoração ao seu corpo físico.
    E digo mais Jesus não poderia ensinar e fazer uma coisa totalmente diferente, tudo segundo o texto bíblico, pois, ele ensinou que os que ouvissem sua voz sairiam dos túmulos e ele ressuscitou Lázaro com o mesmo corpo físico. Assim, com ele mesmo não poderia ser diferente!
    Aguardo considerações dos que acompanham o site!

    Curtir

  8. reginaldorodrigues

    Se Jesus não ressuscitou no seu corpo físico, então a Bíblia, mais uma vez mostra-se contraditória. E acredito que ela seja.
    ” Enquanto falavam sobre isso, o próprio Jesus apresentou-se entre eles e lhes disse: “Paz seja com vocês! “Eles ficaram assustados e com medo, pensando que estavam vendo um espírito”. Lucas 24:36-37.
    O texto acima não prova que Jesus não havia ressuscitado com seu corpo físico. Note que na parte final é dito que eles pensavam que estavam vendo um espirito. Pensavam, não quer dizer que era um espirito de fato, apenas devido saberem eles que Jesus estava morto e aparecer repentinamente vivo entre eles levou com que pensassem dessa forma.
    Além disso, eles pensavam que Jesus era um espirito, fantasma, contudo, o próprio Jesus apresenta provas de que ele não era aquilo que eles estavam pensando.
    Se Jesus os convenceu de que ele era uma pessoa de fato e não de um fantasma ou espirito, então se acharmos que não era assim, Jesus era um mentiroso e convenceu os discípulos de algo que não era bem assim.
    O fato de aparecer quando uma porta estava fechada, não prova que ele se materializou porque não era mais um humano de carne, mostra, sim, que ele em sua atual condição é um ser poderoso capaz de coisas impossíveis.
    E mais o salmista disse que “não deixará meu corpo na sepultura(sheol, hades, etc). Não permitirá aquele que lhe é fiel veja a corrupção”, Essa passagem é atribuída ao corpo físico de Jesus. Portanto, o corpo físico de Jesus foi levantado dentre os mortos, sim!

    Curtir

  9. abibliaeavidaeterna

    Pois o próprio Cristo sofreu uma vez por todas pelos pecados, um homem bom em favor dos maus, para levar vocês a Deus. Ele morreu no corpo, mas foi ressuscitado no espírito…(1 pedro 3:18 NTLH) dizer que cristo ressuscitou em um corpo carnal é ir contra a bíblia ou colocar ela em contradição. Jesus quando fala ali ele se refere em sentido simbólico. ) Jesus usava de linguagem figurada, falando “do templo do seu corpo”. Ele foi morto e depois ressuscitado no terceiro dia. (Jo 2:21; Mt 16:21; Lu 24:7, 21, 46) Ele foi ressuscitado pelo seu Pai, Jeová Deus, em outro corpo, não feito por mãos, como o templo de Jerusalém, mas um corpo espiritual feito (construído) pelo seu Pai. (At 2:24; 1Pe 3:18) Este uso de construção como aplicando-se ao corpo da pessoa não é extraordinário, pois, falando-se a respeito da criação de Eva, foi dito: “E da costela que havia tirado do homem, Jeová Deus passou a construir uma mulher.” — Gên 2:22.

    Curtir

  10. Lucas

    Muito boa a sua abordagem. Mas me veio uma dúvida.

    Quando Jesus disse Destruam este templo e em três dias reconstruirei, ele estava falando do seu próprio corpo quando fosse levantado.

    Ou seja corpo morto, depois de três dias corpo ressuscitado.

    Como explicar esta aparente contradição?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s